Poluição dos recursos hídricos…

posted by amoura @ 7:08 PM
21 de outubro de 2009

Quando queremos usar alguma música para falar de poluição dos recursos hídricos, talvez a mais usada seja Purificar o Subaé, de Caetano Veloso. De fato, é clichê. De fato, é genial.

Purificar o Subaé
Mandar os malditos embora
Dona d’água doce quem é?
Dourada rainha senhora
Amparo do Sergimirim
Rosário dos filtros da aquária
Dos rios que deságuam em mim
Nascente primária
Os riscos que corre essa gente morena
O horror de um progresso vazio
Matando os mariscos e os peixes do rio
Enchendo o meu canto
De raiva e de pena”

A destruição dos rios, principalmente os que passam por nossas cidades, como o Subaé que corta Santo Amaro da Purificação e encheu Caetano de raiva, nos entristece e nos revolta. Os rios urbanos, em boa parte do mundo, são poluídos, frutos de anos, muitas vezes, séculos de toneladas de lixo sendo jogados em seus leitos.

O Subaé sofreu anos de poluição de chumbo da indústria chamada Cobrac, hoje desativada. Em Salvador, os exemplos de rios poluídos são muitos:

  • rio Cobre (que nasce em Coutos, próximo à Estrada Paripe/Base Naval e desemboca na Península Itapagipana), é um dos menos poluídos;

  • rio Camorugipe (tem a nascente em Boa Vista de São Caetano, atravessa boa parte do novo centro econômico de Salvador, a região do Iguatemi e Tancredo Neves e deságua na praia do Costa Azul);

  • rio Lucaia, na foto acima, que deságua na praia do Rio Vermelho;

  • riacho dos Seixas, que delineia toda a avenida Centenário e que deságua ao lado do morro do Cristo. Em outubro de 2008 foi totalmente canalizado e coberto através de uma obra da prefeitura de Salvador. Desta forma, se ainda havia alguma esperança de vida para o riacho, morreu sufocado com o concreto da cobertura.

Segundo a pesquisadora Lúcia Politano, mestre em Engenharia Ambiental e Urbana pela UFBA, há informações de que muitos rios e riachos existiam pela cidade até bem pouco tempo e que simplesmente desapareceram, pela poluição e uso descontrolado da construção civil. A Barra, a Pituba e outros bairros foram testemunhas dessas mortes.

Contudo, temos inúmeros exemplos de recuperação. Sabemos que leva tempo e dinheiro. E a qualidade de vida que teremos, será infinitamente melhor e não nossos poetas não poderão usar suas emoções para falar de coisas bonitas, apenas.


Esse texto foi enviado por Osvaldo Arruti Lyrio. Publicitário e graduando em administração, ele é um colaborador voluntário do blog Futuro da Água de A TARDE.

Tags: , ,

9 Responses to “Poluição dos recursos hídricos…”

  1. andré  Says:

    que nojo… e só de imaginar que essa porcaria toda vai para o mar e tds nos nos banhamos e mergulhamos nisso…

  2. alex marques  Says:

    para quem nao sabe, esse rio passa LITERALMENTE pela porta da Bahia Azul, aquele programa que se dizia o maior programa de saneamento básico da america latina e que prometia despoluir a baía de todos os santos e as praias de salvador…

    casa de ferreiro…

  3. baiao  Says:

    Osvaldo, vc esqueceu de falar da matança q estão fazendo com akele rio do Imbuí. e que atualmente nem chamam mais de rio. akilo virou apenas um canal… acho q o eufemismo ajuda a tapar o sol com a peneira.

  4. marcio  Says:

    Qual é o órgão que deveria ser o responsável pela preservação dos manaciais? Ingá? Sema? Sucom? Ibama?

  5. Victor Brandão  Says:

    Márcio,

    O INGÁ é uma autarquia da Secretaria do Meio Ambiente do Estado (SEMA) e tem como principal finalidade gerir e executar a Política Estadual de Recursos Hídricos e de Prevenção, Mitigação e Adaptação dos Efeitos das Mudanças Climáticas. Tem como principais atribuições:
    - desenvolver e executar as políticas públicas relativas à gestão das águas superficiais e subterrâneas de domínio do Estado da Bahia;
    - monitorar e fiscalizar os usos dos recursos hídricos, elaborando relatório periódico sobre a situação dos recursos hídricos no Estado.

    Originalmente chamada Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Semarh, teve sua denominação alterada para Secretaria do Meio Ambiente – SEMA, em 06 de junho de 2008. A SEMA tem por finalidade assegurar a promoção do desenvolvimento sustentável do Estado da Bahia, formulando e implementando as políticas públicas voltadas para harmonizar a preservação, conservação e uso sustentável do meio ambiente, com respeito à diversidade étnico-racial-cultural e à justiça sócio-ambiental no Estado da Bahia.

    Como autarquia municipal à SUCOM – Superintendência do Controle e Ordenamento do Uso do Solo do Município, cabe o exercício do Poder de Polícia Administrativa do Município do Salvador no âmbito do Controle Urbanístico e Edilício, exercendo uma função de essencial importância para cidade. Tem como Missão: Apoiar o desenvolvimento social, econômico e urbanístico de Salvador através do controle e ordenamento do uso e da ocupação do solo.

    O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, mais conhecido pelo acrônimo IBAMA, é uma autarquia federal vinculada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). É o órgão executivo responsável pela execução da Política Nacional do Meio Ambiente (PNMA) e desenvolve diversas atividades para a preservação e conservação do patrimônio natural, exercendo o controle e a fiscalização sobre o uso dos recursos naturais (água, flora, fauna, solo, etc). Também cabe a ele realizar estudos ambientais e conceder licenças ambientais para empreendimentos de impacto nacional.

  6. Mr. M  Says:

    Acho que não mais veremos rios despoluídos pela cidade…já era! Nem deveriamos mais chamar de rios…são uns…”esgotos híbridos”!

  7. Marcelo Felipe  Says:

    Lamento, mas a situação dos rios urbanos está cada dia pior. Existe um culpado principal, a prefeitura que libera obras irregulares para construtora que não tem nenhum respeito por nossos recursos hidricos. Pena! A solução seria aplicação de politicas públicas mais sérias que obrigassem as construtoras elaborarem projetos de esgotos sustentáveis e dimnuissem seus lucros.

  8. Hilnando  Says:

    Pois eh, concordo com Marcelo Felipe. Se houvesse uma fiscalizacao e uma punicao séria e efetiva contra nao so as construtoras mas todos que poluem os rios, inclusive o poder público que polui indiretamente ao nao oferecer a boa parte da populacao saneamento BÁSICO. como o proprio nome ja diz é básico, tinha que ser 100% para todos.

  9. jheny  Says:

    e o pior de tudoo isso é ki nós mesmo fazemos isso..
    nós mesmo acabamos com o mundo com a água
    de todooos os modoos…esta na hora de nós mudarmos!!

Leave a Reply