Bacias Hidrográficas de Salvador

posted by amoura @ 5:17 PM
26 de novembro de 2009

“Por suas características geoclimáticas, de relevo acidentado e umidade elevada, a cidade de Salvador apresenta uma rica rede hidrográfica, diversa em ambientes aquáticos, com rios extensos, originalmente formados por significativas áreas alagadas, dominadas por densa vegetação ripária, abrigo de várias espécies animais e vegetais, tais como aves e répteis, inclusive sucuris e jacarés, este último, praticamente desaparecido. Além disso, registra-se ainda a ocorrência de lagos e lagoas, muitos nas regiões de depressão entre dunas, resultantes da exposição do lençol freático. Todo esse conjunto hídrico compõe as bacias hidrográficas localizadas no Município, as quais podem ser organizadas em, ao menos, dez: Barra, Camurujipe, Cidade Baixa, Cobre, Ipitanga, Jaguaribe, Lucaia, Pituaçu, Pituba e Subúrbio.”

O título deste post e o texto acima retirado do documento “Bacias Hidrográficas no Município de Salvador: Iniciativas de Gestão Integrada”, publicado em outubro de 2006, pela SMA (Superintendência do Meio Ambiente) da prefeitura de Salvador pode estranhar a muitos, inclsuive a mim mesmo quando li o referido documento. Afinal, não vemos tantos rios (quanto mais bacias hidrográficas) e um clima quase intocável quanto o descrito acima. Mas vamos explicar um pouco.

 “Bacias hidrográficas são regiões  compreendidas entre divisores de água, ou divisores topográficos, que são zonas de elevação, na qual toda a água aí preciptada escoa, pela ação da gravidade, por um único exutório (ponto mais baixo, no limite de u sistema de drenagem)” (Vacabulário básico de recursos naturais e meio ambiente. BRASIL, 2004,).bacias hidrográficas

De acordo com essa definição, o PDDU 2000 de Salvador elencou 10 bacias hidrográficas na capital baiana:

  • Barra (585,9 ha de área, 1,9km de extensão, com  foz na Barra e Ondina);
  • Lucaia (1.396 ha, 5,5km de extensão, com foz no Rio Vermelho);
  • Ptuba (sem área nem extensão definida, mas com foz na Pituba);
  • Camurujipe (4.401 ha, 13,4 km de extensão e tem o Costa Azul como foz);
  • Pituaçu (2.815 ha, 9,4 km de extensão e foz no bairro de mesmo nome);
  • Jaguaribe ( 6.068 ha, 15,2 km de extensão e foz em Jaguaribe);
  • Ipitanga, Cidade Baixa, Subúrbio sem extensõe nem áreas definidas e com fozes nos bairrs de respectivos nomes;
  • Cobre, também sem área nem extensão definidos e com foz no bairro de Pirajá.

tororo

Acontece que o crescimento desordenado da cidade, ações antrópicas direta ou indiretamente ligadas à vida dos rios acabou matando, como já comentei em outros tópicos, diversos rios da cidade.  Ou foram completamente soterrados (como a bacia da Pituba, onde só restou a lagoa) ou poluídos, como a 2ª maior bacia hidrográfica da cidade, a Camurujipe. O resultado é que hoje, temos em Salvador, assim como nas outras grandes cidades brsileiras, pouquíssimas bacias hidrográficas com água poável e que podemos chamá-las de rios.

Comentando sobre o Camurujipe, outro dia com um amigo, não fiquei surpreso com o espanto dele em saber que o esgoto a céu aberto que passa por grande parte da cidade era na verdade um rio. Pelo menos um dia assim foi. Não me surpeendo porque rio, no imaginário comum, é aquele curso d’água que desde a sua nascente até su foz passa por diversas paisagens levando água para molhar as margens e servindo de habitat natural para peixes, anfíbios, répteis e outros seres vivos. Mas o que vemos e um canal concretado por onde passa um líquido escuro, repelto de lixo e com um mal cheiro.

Uma prova do morte dos rios de Salvador é o baixíssimo índice de Oxigênio Dissolvido (OD). Segundo dados do documento do SMA, as bacias da Barra, Lucaia, Pituba, Camurujipe, Pituaçu, Jaguaribe e do Subúrbio apresentam OD menor que 4 mg/L. A bacia do Ipitanga OD entre 4 e 6 mg/L e somente a do Cobre acima de 6 mg/L. A maioria dos seres não sobrevivem com menos de 5 mg/L. Veja abaixo uma tabela de seres e suas respctivas resistências aos níveis de OD.

pituba

Esse texto foi enviado por Osvaldo Arruti Lyrio. Publicitário e graduando em administração, ele é um colaborador voluntário do blog Futuro da Água de A TARDE.


Economize água em qualquer circunstância!

posted by amoura @ 11:16 AM
25 de novembro de 2009

Economize água!

1. Banho rápido
Se você demora no banho, você gasta de 95 a 180 litros de água limpa. Banhos rápidos (de no máximo 15 minutos) economizam água e energia.

2. Escovando os dentes
Se a torneira ficar aberta enquanto você escova os dentes, você gasta você gasta até 25 litros de água. Então, o melhor é primeiro escovar e depois abrir a torneira.

3. Torneira fechada
Torneira aberta é igual a desperdício. Com a torneira aberta, você gasta de 12 a 20 litros de água por minuto. Se deixar pingando, são desperdiçados 46 litros por dia.

4. Descarga
Uma descarga chega a utilizar 20 litros de água em um único aperto! Então, aperte a descarga apenas o tempo necessário.

5. Lavando louça
Ao lavar louças, não deixe a torneira aberta o tempo todo (assim você desperdiça até 105 litros). Primeiro passe a esponja e ensaboe e depois enxágüe tudo de uma só vez.

6. Lavando o carro
Lavar o carro com uma mangueira gasta até 560 litros de água em 30 minutos. Quando precisar lavar o carro, use um balde!

7. Mangueira, vassoura e balde
Ao lavar a calçada não utilize a mangueira como se fosse vassoura. Utilize uma vassoura de verdade e depois jogue um balde d’água (assim você economiza até 250 litros de água).

8. Jardim
Regando plantas você gasta cerca de 186 litros de água limpa em 30 minutos. Para economizar, guarde a água da chuva e regue sempre de manhã cedo, evitando que a água evapore com o calor do dia.

9. Aquário
Quando for limpar o aquário, aproveite a água para regar as plantas. Esta água está enriquecida com nitrogênio e fósforo, o que faz muito bem para as plantas.

10. Pressão política
Não adianta só economizar: é preciso brigar por políticas que cuidem dos rios e lagos e garantam água potável para todos.


Embasa faz reflorestamento no Lago do Rio da Dona

posted by amoura @ 12:32 PM
3 de novembro de 2009
Ag. A TARDE

Ag. A TARDE

Cerca de 1,6 mil mudas de espécies nativas e frutíferas foram plantadas pela Embasa – um dos apoiadores do Projeto Futuro da Água, no Lago do Rio da Dona, em Santo Antonio de Jesus. O reflorestamento da mata ciliar visa recuperar a vegetação no entorno, evitando assoreamentos e erosões, e assim mantendo a qualidade do manancial. A ação contou com a parceria do Ministério Público, SRH, CRA, Semarh, EBDA, Ibama, Uneb, UFRB,  prefeituras municipais de Santo Antônio de Jesus, Varzedo, São Miguel das Matas e Laje, grupos ambientalistas Gana,  Gambá e  ribeirinhos.

De acordo com o superintendente de Meio Ambiente e Projetos da Embasa, Júlio Mota, há uma expectativa de que esse trabalho repercuta em outras localidades. “Estamos dando o primeiro passo para a recuperação do Rio da Dona, mas é importante ressaltar que deve ser um trabalho contínuo. A água é um elemento essencial à vida. Temos que agir constantemente para ter nossos mananciais protegidos e preservados”, afirmou.

O terreno plantado, além de estar em dia com a legislação ambiental, também será auto-sustentável. Entre as espécies nativas, como aroeirinha, angelim, boleira e gurindiba, foram plantadas também mudas árvores frutíferas, como caju, cajá e açaí. Jorge Sales, proprietário de um terreno às margens do rio, vai aproveitar as frutas para fazer polpas. Em quatro anos as árvores já estarão desempenhando sua função ecológica de proteger a barragem.


Dicas: No Jardim

posted by amoura @ 12:15 PM
3 de novembro de 2009

Dicas: No Jardim

Não regue as plantas nas horas quentes do dia. A água evapora antes mesmo de chegar à raiz. Evite regá-las com a mangueira, use o regador, molhando a base das plantas e não as folhas. O carro está sujo? Para lavá-lo é recomendável também evitar o uso da mangueira. Prefira o uso do balde e um paninho ao invés da mangueira. Combata o desperdício em qualquer circunstância.


Dicas: Na Cozinha

posted by amoura @ 9:31 PM
30 de outubro de 2009

na cozinha

Ao lavar a louça limpe os pratos e panelas retirando todo resto de comida, depois os ensaboe enxágüe de uma única vez.

Para a higienização de frutas e verduras utilize cloro ou água sanitária (uma colher de sopa para um litro de água por 15 minutos). Depois coloque duas colheres de sopa vinagre em um litro de água e deixe agir por mais 10 minutos. Sempre economizando o máximo de água possível.

Se você utiliza um copo de água, será necessário, pelo menos mais dois copos de água para lavá-lo. Evite o desperdício!


Vamos salvar o planeta água!

posted by amoura @ 6:44 PM
23 de outubro de 2009

01 vamos salvar planeta

A Terra bem que poderia se chamar Planeta Água. Os oceanos compõem cerca de 70% da superfície da Terra, ou seja, mais da metade do planeta é coberto por água. No entanto, a maior parte desse montão de água é imprópria para o consumo nas indústrias e para uso doméstico, pois é muito salgada. Uma outra parte está congelada no Pólo Norte e em outras geleiras e uma outra parte está escondida no interior da terra. O que sobra, então, de água boa pra ser usada é muito pouco, por isso que devemos cuidar da água do nosso Planeta.


Se ligue nas dicas e preserve o meio ambiente…

posted by amoura @ 1:32 PM
15 de outubro de 2009

A Vega, um dos patrocinadores do Projeto Futuro da Água, tem como Missão oferecer soluções ambientais integradas na área de resíduos, com qualidade e inovação para o setor público.  Para tanto, ela dá algumas dicas de preservação e educação ambiental. Veja algumas delas:

Dica_Vega
EMBALAGENS:
– Adquira produtos a granel. Produtos embalados são na maioria dos casos mais caros.
– Prefira as embalagens recicláveis.
– Dê preferência para embalagens que indicam procedência correta do produto.
– Opte pelas marcas que informam a composição da embalagem dos seus produtos.
– Evite produtos cujos recipientes não podem ser retornados ao seu local de venda.
– Utilize produtos com refil.
– Evite o isopor, essa substância é altamente tóxica.
– Não aceite que produtos alimentares sejam embrulhados em jornais, o contato do alimento à tinta de impressão possui elementos químicos prejudiciais à saúde.

PAPEL:
Vamos reduzir a quantidade de lixo que acaba por poluir os mananciais tendo algumas atitudes:
– Dar preferência por materiais fabricados com papel reciclado.
– Utilizar o máximo de papel disponível.
– Reaproveitar ao máximo envelopes, caixa de papelão, papel de xerox, etc.

PLÁSTICO:
Além de ser um subproduto de um recurso natural, não renovável, o petróleo, constitui uma substância que, quando abandonada no meio natural, torna-se um poderoso poluente de difícil degradação.  É possível minimizar o problema:
– Evitando os produtos fabricados com plástico usando similares feitos com outros materiais.
– Utilizando ao máximo seus objetos de plástico. Evite criar lixo com esta origem.
– Evitando o uso de sacos plásticos de supermercado. Use sacolas de pano.
Além dessas dicas, a Vega sempre alerta: Participe de Programas de Reciclagens, isso é bom para você, para a sociedade e principalmente para o meio ambiente!

Veja essas e outras dicas no site da Vega: www.vega.com.br

Esse texto foi enviado por Osvaldo Arruti Lyrio. Ele é um colaborador voluntário do blog Futuro da Água de A TARDE.